22 de agosto de 2017

.acho que lhe posso intitular de regresso /

Não prometo que seja desta a oficialização de um layout que me satisfaça a cento e dez porcento, e que vá de encontro com as minha vivências e expectativas de vida. Contudo, foi assim que me revi nas mudanças e espero que tal se reflita aos vossos olhos, não só pela capa, mas também por aquilo que está por detrás. Desta feita, decidi-me: vou investir num texto sobre mim - finalmente! - que ficará alojado por aí algures no blogue, apenas porque deixei de ter uma foto minha aqui ao lado, juntamente com informações adicionais. Se eu poderia voltar à blogo com tudo feito? Sim, mas desse modo não teria a inspiração para me sentar novamente e ter o que fazer... E assim também é da maneira que isto não fica desativado por muito tempo. Já li que muitas pessoas queriam visitar-me, mas não tinham como fazê-lo. Pois bem, aqui estou! Sejam novamente bem-vindos! ♥

20 de agosto de 2017

\\ FECHO TEMPORÁRIO DO BLOGUE

Por motivos vários, hoje não publiquei a minha lista de afazeres para o "LET'S PLAY SUNDAY". Apercebi-me do real objetivo desta rubrica e, como tal, não faria qualquer sentido eu ter vindo aqui partilhar objetivos. Aproveito também para avisar de que a partir da 00h, vou colocar o blogue em privado, para efetuar umas quantas mudanças que, cada vez mais, vão ao encontro daquilo que desejo para este espaço. Até voltar, ficarei ansiosamente a aguardar pelas vossas cartas para a celebração do segundo aniversário do LYNE - não se esqueçam de que têm até dia 28 de Agosto para o fazer, mas explico-vos tudo AQUI -, e prometo colocar as leituras em dia, coisa que não me vejo a fazer há dias!

Espero conseguir ser breve e objetiva nas mudanças, pois tenho muita coisa para partilhar convosco, e com isto fechado, dificilmente chego lá! Sem mais nada a acrescentar, desejo-vos uma semana recheada de momentos felizes! Até já! 💕

TEMPORÁRIO

17 de agosto de 2017

#BEAUTYBEYONDSIZE \\ O poder que uma peça de roupa tem na nossa vida

Hoje, mais do que nos outros dias, andei em roda das roupas, em busca de peças que combinassem não só com as evoluções que vou sofrendo diariamente, mas principalmente que me fizessem sentir bem na pele que me cobre hoje, a dezassete de Agosto de dois mil e dezassete. Não foi a primeira vez que isto me aconteceu, afinal, é super normal eu acordar, observar o guarda-roupa e sentir-me frustrada pelo facto de possuir peças com as quais já não me identifique, contudo, hoje foi diferente: dei por mim a cogitar no quão importante é que um conjunto nos pode influenciar na maneira de pensar e, acima de tudo, de nos auto encararmos.

Durante muitos anos, o meu estilo era muito simples: baseava-me em peças de carácter mais masculino, os tecidos mais largos do que o normal, apenas porque queria esconder as gordurinhas que me incomodavam em demasia na altura. No meu pensar, se eu ousasse sequer investir numa peça mais feminina e, com o passar dos anos, mais adulta, era como se as pessoas cá de fora me encarassem de semblante desconfiado, cochichando entre si "O que é que aquela gorda pensa que está a fazer, vestindo-se assim, como nós?" - pois, já me aconteceu pensar assim. Para mim, combinar roupas bonitas e elegantes era o mesmo que desafiar a humanidade, as pessoas mais magras do que eu, as modelos que pousavam para as marcas, só porque sempre tive peso a mais. 

Se no passado eu encarava a moda como maneira de disfarçar as minhas inseguranças, hoje sei que também o posso fazer, mas de maneira mais elegante e a condizer com a minha cara. Só porque somos mais cheiinhos do que o resto da humanidade, não quer dizer que tenhamos de perder o nosso brilho e a nossa beleza, em prol de ideias que se propagam por aí, de que só os "afortunados" fisicamente se podem "exceder" em termos de estilo. As roupas das quais eu fazia uso refletiam ainda mais insegurança do que propriamente aquilo que eu carregava no peito. Na altura funcionava, eu sentia que tudo aquilo me protegia do mundo, das ofensas, das gozações, mas eu sei e acredito que sair à rua como eu saía, apenas despoletava uma reação defensiva e ofensiva nas pessoas, o que de certeza as fazia proferir coisas que ninguém merece ouvir. 

Há medida que eu fui crescendo, moldando a minha cabeça, observando as vivências dos outros com outros olhos, estudando e investindo o meu tempo na pesquisa de coisas que me servissem que nem uma luva, foi-me muito mais fácil de entender que eu posso SIM me sentir bonita, confiante, charmosa, dentro de um conjunto de roupa mais feminino, mais de acordo com o meu tipo de corpo, tendo peso a mais. Se eu me foco nisso, sem sequer trabalhar pela saúde? Não, afirmo aqui que ando a trabalhar para obter saúde, o corpo que sei que deverá equivaler com os valores de gordura e massa magra que devo ter, porventura, estar nesse processo  já não me impede, nem provoca em mim a vontade de esperar pelo "tempo certo" para comprar uma peça de roupa que chame pelo meu lado mais vaidoso. 

BEAUTYBEYONDSIZE

Esta publicação insere-se no projeto #BEAUTYBEYONDSIZE, trazido à blogosfera pela Sónia Rodrigues Pinto, do She Writes.

15 de agosto de 2017

BOOK review \\ a saga "DEATH NOTE"

review

Há coisa de dois anos, tive uma febre: apetecia-me ver tudo quanto era animes - no bom português, animações japonesas -, o que me levou a explorar um bocado deste mundo, sem nunca me tornar numa viciada completa. Tanto que, nos dias de hoje, raramente coloco os olhos em cima de um anime, ou mesmo filme da mesma área. Na altura, a série que mais me fascinou foi Death Note, que nos traz uma história policial, pincelada de mistério, fantasia e muitas passagens sinistras, por assim dizer. Deliciei-me com as duas temporadas existentes, devorei-as em menos de uma semana, só que sentia que algo faltava, sem nunca desconfiar do que se tratava.

Uns meses se passaram, quando numa visita a uma amiga, deparei-me com os livros que inspiraram a adaptação, o que logo me fez cogitar: e se, conhecendo a linhagem que as adaptações tomam, eu explorasse Death Note na íntegra, com direito a informações "exclusivas", ou que pelo menos assim o parecessem? E foi em Janeiro deste ano que me lancei à aventura: foram-me emprestados os doze volumes, com mais uns bónus incluídos, e só muito recentemente, em princípios de Agosto, é que dei esta viagem por terminada. O que tenho a dizer é muito simples: a série não foge muito à história original, embora oculte coisas daqui e dali, como forma de não se estenderem demasiado. Contudo, foi muito mais prazeroso ler e dar vida às personagens na minha cabeça, simplesmente pelo facto de ter tido a oportunidade de carregar com elas por muito mais tempo, descascando-lhes a personalidade, como se de uma banana se tratasse.

Se se questionam se vale a pena ler os livros, mesmo depois de terem visto o anime, a minha resposta joga a favor do afirmativo. E a regra geral passa sempre por ser esta: ler as obras literárias, mesmo depois de exploradas as adaptações. Há umas quantas leituras que podem ser evitadas, afinal, acabamos por nos desiludir por vezes, porventura, é um investimento que vale sempre a pena, para mais que temos a oportunidade de mergulharmos até ao fundo da questão!

Death Note é para quem se atreve a passar horas sem largar os livros - embora tenha levado meses! -, imersos na curiosidade de desvendarem um mistério que, a olhos vistos, a resposta é-nos dada logo na mão, mas que dentro da trama, deixa a desejar. Pode até não ser o melhor de todos, mas se há coisa que a literatura tem de melhor - seja ela oriunda do ocidente, oriente, etc. -, é o facto de nos ensinar, entreter e nos tornar em pessoas melhores. Posso não me ter tornado numa serial killer, mas foi interessante poder estar quase na mente de um!


Já conheciam Death Note? O que têm a dizer?
Queres contribuir, ainda mais mais , para o segundo aniversário do blogue? Então clica AQUI!

14 de agosto de 2017

NOVAS no #LET'SPLAYSUNDAY - o vídeo.

Ultimamente, parece que só vos venho aqui escrever acerca da nova rubrica do blogue, mas é só mesmo impressão vossa! Na verdade, tenho vindo a consumir bastante conteúdo para vos trazer por aqui, só não tenho é tido a inspiração necessária para moldar tudo em palavras. Contudo, espero mudar isso a partir de amanhã, enchendo estes lados com muitas coisas boas. Por enquanto, servi-vos-ei com mais um vídeo deste domingo, que embora tenha sido "parado", deu para me entreter e arranjar o que gravar! Espero que gostem e, uma vez mais, aguardo pelo vosso feedback! Até mais!